Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental 
Departamento de Engenharia Civil - Universidade Federal de Campina Grande  

Notícias

Home

Convênios Projetos


Projetos
2002 2003 2004 2005 2006 2008

Estudos sobre os Procedimentos, técnicas e equipamentos convencionais e do Programa SHRP uilizados para dosagens de misturas asfáltica: uma abordagem para região sul e Nordeste do Brasil
Descrição: O projeto tem como objetivo acompanhar as transformações em curso da pavimentação, principalmente do Sul e do Nordeste do Brasil, articulando as dinâmicas dos processos, técnicas e equipamentos para pavimentação racional. Este esforço direcionado responde a uma demanda que não é apenas do mundo acadêmico e científico, mas também das instituições públicas e privadas responsáveis pela elaboração e gestão de programas de ação territorial e de políticas públicas para o setor de infraestrutura de transportes no Brasil. Neste sentido, a formação de nossos alunos, a publicação dos estudos e a nossa participação em eventos diversos têm o sentido de aumentar a capacidade de análise dos problemas bem como de oferecer elementos para ampliar a capacidade de avaliação da ação de técnicos de empresas públicas e privadas nas diversas regiões do país. Assim, a proposta se insere também na perspectiva de fazer uma ponte entre os conhecimentos acumulados no trabalho acadêmico e o debate entre as empresas privadas, públicas sobre a importância da infraestrutura viária brasileira..

Participante(s): Alexandre B Parreira / João Batista Q. de Carvalho / Gelmires de A. Neves / Adriano Elísio de F. L. Lucena / Glauco Túlio P. Fabbri / José Leomar F. Júnior /Erinaldo H. Cavalcante / Manoel A. Sória - Integrantes/ John Kennedy G. Rodrigues-Coordenador
Órgão financiador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro..
Este projeto tem duração prevista de 2 anos

Uso de Resíduos Oleosos de Petróleo (E&P) em Obras Civis
Descrição: O desenvolvimento traz consigo a problemática da geração de resíduos, pois na busca de uma melhor qualidade de vida , tecnologias e matérias-prima são adotadas, sem a preocupação com sua deposição. É necessário um destino ambientalmente correto para estes resíduos, sejam eles classificados como tóxicos ou não. No Brasil, com o advento da lei de crimes ambientais (Lei 6938/1998), que responsabiliza o gerador do resíduo pela sua deposição final, as empresas e os órgãos ambientais têm se esforçado para que sejam empregadas técnicas de gerenciamento e deposição de resíduos adequadas. Entretanto, essa situação ainda é recente e há, efetivamente, pouquíssimas implementações com resultados promissores no Brasil. As operações das indústrias petrolíferas produzem resíduos industriais de várias composições. Todavia, todos são caracterizados pelo conteúdo de óleo. É unânime a opinião de que é muito prejudicial e desagradável a poluição por óleo; esse problema tem sido estudado continuamente por instituições públicas e privadas (BRAILE & CAVALCANTI, 1993). Dentre as opções de tratamento/destino final aplicáveis a resíduos oleosos temos: dilution burial (mistura de solo disponível nas adjacências do local de aplicação, com resíduos ou solo contaminado), landfarming (fazendas de lodo), biopilhas, incineração, dessorção térmica, roadspreading (espalhamento de resíduo oleoso das atividades de E & P em leito de vias não pavimentadas, misturado ao material argiloso), e solidificação/estabilização (FONSECA, 2003). A utilização dos resíduos oleosos provenientes das atividades de E & P de petróleo em estradas, e na produção de artefatos de concreto, é uma alternativa a ser considerada, pois, a sua adoção atuando como filler ou incorporado a uma sub-base estabilizada com material encapsulante, minimizaria o efeito da migração de alguns componentes tóxicos de sua constituição para o lençol freático e os solos que circunvizinham as estradas, tornando-se assim, uma prática ambientalmente mais adequada.

Participante(s): Adriano Elísio de Figueiredo Lopes Lucena - Integrante / John Kennedy Guedes Rodrigues - Coordenador
Órgão financiador: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Auxílio financeiro..
Este projeto tem duração prevista de 5 anos
CAPES Fundação Parque Tecnológico da Paraíba FINEP ATECEL
267630 Visitas Desenvolvido por Rede Software Mapa do Site | Área Restrita